RFEM - totalCAD

RFEM

RFEM – Software para Analise Elementos Finitos

RFEM é um Software para Analise Estrutural Linear e Não-Linear

O Software de elementos finitos RFEM permite uma modelagem da estrutura de forma rápida e simples, cálculos estáticos e o dimensionamento de estruturas 2D ou 3D com elementos de barras, lajes, placas, vigas, paredes, cascas, membranas, pórticos e sólidos. Através do conceito modular do software, é possível ter apenas o programa RFEM com todos os recursos de análise estrutural e adicionar apenas os módulos adicionais de dimensionamento e verificação relevantes, adaptando-se às necessidades individuais de cada cliente.

Com o programa de análise estrutural RFEM, temos a disposição dos engenheiros de projeto e de obra um programa de elementos finitos 3D, que está à altura de todos os requisitos da engenharia moderna. A entrada de dados sofisticada permite uma modelagem rápida e intuitiva de estruturas simples e complexas. O software de análise estrutural RFEM é a base de um sistema de software composto por módulos. No programa principal RFEM é possível definir a estrutura, os materiais e as ações para estruturas planas ou espaciais constituídas por lajes, pilares, cascas, vigas e barras. Sistemas mistos também podem ser dimensionados assim como elementos de sólidos e contato.

O RFEM fornece os valores relativos a deformações, esforços internos, tensões, reações assim como tensões do solo. Através de módulos adicionais é facilitada a entrada de dados com criações automáticas de estruturas e ligações e é possível fazer análises e dimensionamentos de acordo com diferentes normas internacionais.

Por que o RFEM?

O RFEM oferece vantagens que são muito importantes na escolha do software para elementos finitos que o cliente vai utilizar. Entre as funções disponíveis no RFEM, podemos destacar as seguintes como vantagens na utilização do software:

bullets com paleta-cinza-29O RFEM Integra diversos materiais no mesmo modelo: metálica, concreto, alvenaria estrutural, madeira, etc Além de diversos tipos de elementos como barra, casca, membranas, sólidos e superfícies.

bullets com paleta-cinza-26Possui tecnologia BIM e compatibilidade de importação/exportação de arquivos IFC ou DWG, além de integração com outros formatos e softwares.
bullets com paleta-cinza-18Realiza o pré-dimensionamento dos perfis metálicos, de madeira e das barras de concreto. Propondo automaticamente a seção em função das ações e opções definidas. Obtendo o menor peso possível da Estrutura.

O software trabalha com as normas brasileiras NBR 8800, NBR 14762, NBR 6120, NBR 6123, NBR8681

  

Diferenciais do RFEM para Analise por Elementos Finitos

  • Software Alemão com mais de 30 anos de desenvolvimento, utilizado por milhares de empresas de engenharia em todo mundo, calculando obras como Centro de Treinamento Ferrari –Dubai, Estádio de Futebol Alians Arena –Alemanha, Cobertura Shopping Iguatemi – Fortaleza, além de pontes, estruturas especiais como montanha-russa, obras industriais, vasos de pressão, análise estrutural de vidro, entre outras aplicações.
  • Software em Português, com manuais e suporte em português facilitando o uso do programa e o aprendizado do mesmo.
  • Dimensionamento de estruturas através da NBR 8800 e outras normas internacionais como AISC, AISI, Eurocode entre outras.
  • Ambiente gráfico amigável, totalmente configurável e diversas formas de lançamento. Possui diversos recursos CAD para a modelagem de elementos como superfícies e Sólidos em 3D.
  • Dimensionamento de chapas e superfícies através das normas americanas e europeias.
  • Permite trabalhar com diversos tipos de elementos: Barras, tirantes, Barra rígida, superfícies, sólidos, membranas.
  • O software em sua versão básica permite a análise linear e não linear de estruturas.
  • Analise dinâmica: Frequência Natural, Carga estática equivalente e time-history.
  • Com o modulo Shape-Thin permite criar e estudar qualquer tipo de seção, possibilitando utilizar essas seções em qualquer estrutura.
  • Apresenta relatórios e memória de cálculo extremamente completas, permitindo ao usuário configurar o formato de saída dos resultados.
  • Possui compatibilidade com diversos formatos como IFC, SDNF, CIS2, ACIS, SAT entre outros. Permitindo trabalhar em conjunto com softwares como Sketchup, AutoCAD, Revit, Advance Steel, Tekla, Cátia, Solidworks entre outros.
  • Permite inserir todo tipo de carregamento, em nós, barras e superfícies. Conta com assistentes avançados de distribuição de cargas. Possui assistentes para geração de cargas de vento, neve e sismo.
  • Possui diversos assistentes de geometria facilitando o lançamento de estruturas como galpões, torres, silos, treliças, pontes, edifícios e outras estruturas.

Principais Características

Desde a concepção da estrutura até a geração automática dos resultados, memória de cálculo, listagens e memorial descritivo, o RFEM é a solução perfeita para o cálculo de qualquer projeto.
O avançado sistema de lançamento permite ao calculista conduzir a estrutura com muito mais refinamento e com grande flexibilidade de definições.

  

Funções e Ferramentas

Navegador de projeto – Vistas

O Navegador de projetos – Vistas permite facilmente gerar várias vistas em poucos passos. É também possível guardá-las e abri-las de novo a qualquer momento.

 

Propriedades de visualização

É possível atribuir cores distintas a vários objetos da estrutura para uma disposição mais clara da representação gráfica.

Estão disponíveis as seguintes categorias: materiais, seções, tipos de barra, articulações de barra, tipos de superfícies – geometria, tipos de superfícies – rigidez, espessuras de superfície, tipos de sólido, lados de superfície e visibilidades definidas pelo usuário.

 

Criação automática de combinações

A caixa de diálogo ‘‘editar casos e combinações de cargas’’ proporciona a opção de gerar automaticamente casos de cargas e combinações de resultados (envoltórias) após seleção das regras de combinação relevantes. Neste diálogo organizado de forma clara, é também possível copiar, adicionar ou renumerar casos de carga, por exemplo.

 

Impressão em massa

O modelo, carregamento e os resultados podem ser impressos em série. O RFEM consegue criar diversos gráficos com vistas diferentes a serem definidas. Através de um simples clique, é possível, por exemplo, imprimir todos os esforços internos como vista isométrica.

 

Interface do Usuário

O modelo pode ser criado graficamente numa interface típica de CAD, numericamente em tabelas ou por combinação das duas possibilidades. A entrada de dados é facilitada por menus de contexto abrangentes. O modelo estrutural é visualizado como um gráfico 3D foto realístico, podendo, assim, os dados de entrada ser verificados imediatamente.

Interface gráfica do usuário intuitiva

No RFEM, as estruturas são criadas num ambiente de trabalho idêntico aos sistemas CAD ou através da introdução de dados em tabelas. Com um simples clique com o botão direito do mouse sobre um objeto nos gráficos ou no navegador, pode abrir o menu de contexto facilitando a criação ou a alteração dos elementos estruturais. A interface gráfica do usuário pode ser operada de forma intuitiva. Assim, os objetos estruturais e as cargas são gerados instantaneamente.

 

Controle do programa em diversos idiomas

É possível trabalhar com o programa nos seguintes idiomas: português, inglês, espanhol, francês, alemão, chinês, italiano, russo, neerlandês, polaco e checo.
A interface gráfica de usuário do RFEM pode ser personalizada com nove estilos diferentes, por exemplo Office 2007 Blue, Silver, Aqua ou Black.

 

Guardar as configurações definidas pelo usuário

Os menus e as barras de ferramentas podem ser configurados livremente. Desta forma, as funções utilizadas frequentemente podem ser definidas numa organização personalizada. Para restaurar as configurações padrão, apenas é necessário um clique com o mouse. As tabelas, navegadores e barras de ferramentas podem ser organizadas e posicionadas em qualquer lugar no programa.
Além do mais, com o novo Gestor de configuração pode especificar as configurações definidas pelo usuário para a visualização, opções do programa, barra de ferramentas etc. e guardá-las como configurações separadas.

 

Visualização foto realística

Devido à visualização foto realística dos modelos em representações 3D, é garantida de imediato uma verificação dos dados de entrada. A exibição das cores pode ser ajustada livremente e guardada separadamente para o monitor e para a impressão.

 

Exibir Controle dos objetos

Os objetos, tais como, nós, barras, apoios etc. podem ser exibidos e ocultados de forma individual. Além disso, é possível dimensionar o modelo utilizando linhas, arcos, ângulos, inclinações ou indicações de altura. As linhas auxiliares, secções e comentários definidos livremente ajudam a introduzir e avaliar os dados estruturais. Os objetos auxiliares podem também ser ativados ou desativados de forma individual.

 

Controle global de unidades

Uma caixa de diálogo global gere as unidades para os dados de entrada, as cargas e os resultados para o RFEM, bem como os módulos adicionais.
As configurações podem ser guardas e importadas posteriormente de novo. Desta maneira, é possível utilizar diferentes seções, por exemplo, para estruturas de aço e concreto armado.

  

Modelagem de Elementos Especiais

A modelagem é facilitada por funções auxiliares úteis e ferramentas para a geração de estruturas, inclusive as cargas. Não linearidades de barras (fluência, rasgamento, deslizamento, atrito, etc.) podem ser introduzidas assim como acoplamentos rígidos ou excentricidades para barras e superfícies.

Biblioteca de seções e materiais com lista de favoritos

Bibliotecas abrangentes de seções e materiais facilitam a modelagem de pórticos e estruturas de casca. As bases de dados podem ser filtradas e completadas através das entradas definidas pelo usuário. Seções especiais geradas no SHAPE-THIN e SHAPE-MASSIVE podem também ser importadas e calculadas.

 

Seções compostas e híbridas

É possível definir secções de madeira combinadas, tais como formas em U, T, I ou vigas em caixão. Os elementos singulares estão unidos por ligações rígidas ou semirrígidas. Além disso, existe a possibilidade de selecionar uma seção híbrida. Numa caixa de diálogo separada podem ser atribuídos diferentes materiais a partes individuais das seções.

 

Trabalhar com camadas

As ferramentas tais como, ajustar objeto, grelhas de entrada definidas pelo usuário e linhas auxiliares facilitam a entrada gráfica de dados estruturais. Os arquivos DXF podem ser importados como modelo de linhas ou ser utilizados como camada de fundo, para tirar proveito de pontos ajustados de forma específica.

 

Ferramentas de geração

As ferramentas de geração facilitam a entrada de modelos paramétricos, tais como, pórticos, naves, vigas treliçadas, escadas em caracol, arcos ou coberturas. Além disso, muitos geradores permitem a criação de casos de carga e carregamentos resultantes do peso, neve e vento.

 

Opção para entrada paramétrica

Para trabalhar com sistemas estruturais recorrentes de forma eficiente, é possível a entrada parametrizada. Este tipo de entrada pode ser combinado com a técnica de linha auxiliar, também está possível de ser parametrizada. Utilizando parâmetros particulares, o usuário pode criar estruturas de forma rápida. Para ajustar a estrutura a uma nova situação é suficiente a modificação dos parâmetros.

 

Seleção simples de acordo com determinadas categorias

Vários botões estão disponíveis para mudar a perspectiva e o plano de trabalho diretamente. Através de zoom, rotação e deslocamento da estrutura, o usuário pode definir rapidamente a vista adequada. Vistas parciais contribuem para uma representação clara de partes específicas da estrutura. Os objetos não ativos podem ser representados com transparência no plano de fundo. Selecionando os elementos estruturais de acordo com critérios especiais é possível agrupar os objetos facilmente.

 

Entrada simples do modelo

As estruturas são introduzidas como modelos 1D, 2D ou 3D. Os tipos de barra como vigas, treliças ou tirantes facilitam a definição de propriedades de barra. Para a modelagem de superfícies, no RFEM estão à disposição diversos tipos de superfícies, tais como padrão, ortotrópico, vidro, laminado, rígido, membrana etc.
Além disso, é possível selecionar vários modelos de materiais: isotrópico linear elástico, isotrópico plástico 1D/2D/3D, isotrópico não-linear elástico 1D/2D/3D, ortotrópico elástico 2D/3D, ortotrópico plástico 2D/3D (Tsai-Wu 2D/3D), isotrópico termoelástico, alvenaria isotrópica 2D e dano isotrópico 2D/3D.

 

Não linearidades de barras e apoios

O usuário pode especificar não linearidades para articulações de extremidades de barras (fluência, ruptura, deslizamento etc.) e apoios (incluindo atrito). Estão disponíveis adicionalmente caixas de diálogo especiais para determinar a rigidez de molas de pilares e paredes baseadas nos dados de geometria.

 

Propriedades variáveis de barras e superfícies

As barras podem ser dispostas excentricamente, apoiadas por fundações elásticas ou definidas como ligações rígidas. Os conjuntos de barras facilitam a aplicação de cargas em várias barras.

No RFEM é também possível definir excentricidades em superfícies assim como transformar cargas de nós e linhas em cargas de superfícies. As superfícies podem ainda ser decompostas e as barras decompostas em superfícies.

 

Geração de cargas de vento e neve

Para modelar pórticos estão disponíveis geradores de carga para criação de cargas de vento e cargas de neve. Os casos de carga são criados conforme o tipo de cobertura. Um outro gerador cria cargas de revestimento (gelo). As combinações de carga recorrentes podem ser guardadas como modelo.

 

Renumeração automática dos objetos

A numeração dos objetos estruturais como, por exemplo, nós ou barras, pode ser ajustada posteriormente, sendo possível renumerar os objetos automaticamente, de acordo com as prioridades selecionadas (direção dos eixos).

 

Verificação simples da estrutura

As barras podem ser alongadas ou divididas graficamente. A verificação da estrutura detecta rapidamente erros de entrada como nós idênticos ou barras duplas e elimina-os. As barras que se intersectam podem ser ligadas automaticamente durante a entrada de dados. A função de medição permite a determinação de comprimentos e ângulos em barras e, no RFEM, também em superfícies

 

Variedade de tipos de carga

Para barras e superfícies estão disponíveis vários tipos de carga (força, momento, temperatura, contra-flecha etc.) As cargas podem ser atribuídas a barras, conjuntos de barras e listas de barras. Para imperfeições, o RFEM permite a determinação de inclinações e contra-flechas de acordo com o Eurocódigo e a norma americana ANSI/AISC 360.

 

Regeneração do modelo

A estrutura pode ser editada numa representação ativa. A função “Regenerar modelo” pode ser útil para corrigir pequenos desvios de coordenadas de nós. Além disso, é possível arredondar ou angular cantos (p. ex. para reduzir as singularidades no RFEM).

  

Carregamentos e Combinações

No RFEM pode criar combinações de carga e de resultados automaticamente de acordo com as normas internacionais, incluindo a NBR 8681 tendo em consideração as correspondentes regras de combinação. Numa caixa de diálogo bem organizada, o usuário pode copiar, adicionar ou renumerar os casos de carga.

Normas

Nos dados gerais do modelo, o usuário pode escolher entre uma grande variedade de normas e pode também decidir se as combinações devem ser criadas automaticamente

 

Casos de carga / tipos de ações

Na caixa de diálogo “Editar casos e combinações de carga”, pode criar e gerenciar casos de carga, bem como, gerar combinações de ações, de carga e de resultados. É possível atribuir diferentes tipos de ações aos casos de carga individuais em concordância com a norma selecionada. Se tiverem sido atribuídas diversas cargas a um tipo de ação, estas podem ser efetivas em simultâneo ou em alternância (por exemplo o vento, da direita, da esquerda).

 

Regras de combinação

Para a combinação de ações no estado limite último, bem como no estado limite de utilização pode escolher entre várias situações de verificação de acordo com a norma (por exemplo ULS (STR/GEO) – permanente/transitório, SLS – quase-permanente etc.). Além do mais, tem a opção de integrar imperfeições na combinação e de determinar os casos de carga que não pretende combinar com outros casos de carga (por exemplo a carga de construção para a cobertura não combinada com a carga de neve).

 

Redução das combinações automaticamente geradas

Estão à disposição três possibilidades para reduzir o número de combinações. Os dois primeiros procedimentos apenas estão disponíveis para a geração de combinações de cargas, mas não para as combinações de resultados.
Com a primeira opção é possível analisar de forma automática todos os casos de carga resultantes (forças internas, deformações, etc.) dos elementos selecionados. Em seguida o programa gera apenas aquelas combinações que incluem os casos de carga que produzem um máximo e um mínimo. Além disso, pode ser definido um número máximo de casos de carga relevantes, ou podem ser negligenciados os casos de carga que fazem apenas uma pequena contribuição para os valores máximos e mínimos.

A segunda opção permite que o programa avalie automaticamente as combinações de resultados geradas temporariamente ou definidas pelo usuário. Em seguida, apenas as combinações de carga determinantes são criadas.
A terceira possibilidade para reduzir o número de combinações geradas é classificar apenas as ações selecionadas como ações principais.

 

Combinações de ações

As ações são automaticamente sobrepostas de acordo com as regras de combinação e em seguida são exibidas as “combinações de ações” selecionadas. Agora, o usuário pode definir quais as combinações de ações que serão utilizadas para a geração de combinações de carga ou de resultados. Com base nas combinações de ações criadas é possível estimar a forma como as regras de combinação afetam o número de combinações.

 

Combinações de cargas

Os casos de carga contidos nas combinações de carga são adicionados em conjunto e depois calculadas, considerando os correspondentes coeficientes (coeficientes de segurança parcial e de combinações, coeficientes relativos às classes de consequências etc.). As combinações de carga podem ser criadas automaticamente em concordância com as regras de combinação da respetiva norma. O cálculo pode ser realizado de acordo as análises lineares estáticas, de segunda ordem ou de grandes deformações, bem como para a rotura pós crítica. Existem ainda outras opções para decidir, por exemplo, se as forças internas estão relacionadas com a estrutura deformada ou não deformada.

 

Combinações de resultados

Nas combinações de resultados, os casos de carga incluídos são calculados primeiro. Em seguida, os resultados são sobrepostos, tendo em conta os correspondentes coeficientes. Nas combinações de resultados é possível sobrepor os resultados dos casos de carga e das combinações de carga, bem como os resultados de outras combinações de resultados. No entanto, os dois programas principais oferecem uma opção para a adição quadrada, a qual é relevante para a análise dinâmica.

 

Alterar Rigidez / considerar deformações iniciais

Existe a possibilidade de alterar a rigidez dos materiais, seções, apoios nodais e articulações de extremidade de barra para todas ou para as barras selecionadas nos casos de carga individuais e nas combinações de carga. Além do mais, é possível considerar as deformações iniciais a partir de outros casos de carga ou combinações de carga

  

Cálculo

O modelo é calculado linearmente de acordo com uma análise estático linear, ou de forma não linear, de acordo com uma análise de segunda ordem ou de grandes deformações. Para a determinação dos esforços de cálculo, os resultados podem ser sobrepostos em combinações.

Configuração individual dos parâmetros de cálculo

Todos os tipos de barras podem ser calculados de acordo com a análise linear estática, de segunda ordem ou de grandes deformações. Esta opção de seleção está disponível para casos de carga, bem como para combinações de cargas. Os parâmetros de carga posteriores podem ser definidos individualmente para casos de cargas, combinações de carga e de resultados, a qual aumenta a flexibilidade relativa ao método de cálculo e às especificações detalhadas.

 

Aplicação da carga por incrementos sucessivos

As cargas podem ser aplicadas em incrementos. A opção de incremento é especialmente útil para cálculos segundo a análise de grandes deformações. Para barras é possível considerar as deformações transversais e aplicar esforços internos a sistemas estruturais deformados ou não deformados. O RFEM permite também a realização de análises pós-críticas.

Processador multi-core e tecnologia de 64 bits

O cálculo inclui um gerador otimizado de malhas de EF e suporta os mais recentes processadores multi-core e tecnologia de 64 bits. Assim, com a utilização de diversos processadores, é possível o cálculo paralelo de casos e combinações de cargas lineares sem uso adicional de memória (RAM): Apenas tem de ser criada uma matriz de rigidez uma vez. Com a tecnologia de 64 bits e as opções avançadas de RAM é possível calcular sistemas estruturais complexos utilizando o cálculo direto e rápido.
Durante o processo de cálculo pode ser observado o desenvolvimento da deformação num diagrama. Desta forma, torna-se simples a avaliação do comportamento convergente.

rfem

Resultados

Os esforços internos, deformações e reações de apoio são apresentados no modelo em tabelas e em gráficos. Critérios de filtragem permitem uma seleção específica de resultados. Todos os dados estão documentados num relatório de impressão baseado num conceito de multilinguagem. O conteúdo pode ser ajustado e guardado como modelo. Além disso, é possível trabalhar no relatório de impressão e no RFEM ao mesmo tempo. Por fim, existe a possibilidade de exportar o relatório para um arquivo RTF ou PDF.

Representação colorida de esforços internos

Nas tabelas de resultados é representado a cores, se se trata de esforços internos positivos ou negativos e qual a relação com os valores extremos. Nas tabelas de resultados dos módulos de dimensionamento são expressos através de cores os respetivos graus de utilização. As posições de dimensionamento determinantes ficam, por isso, imediatamente à vista.

 

Diagramas de resultados

Os diagramas de resultados de barras, superfícies e apoios podem ser configurados livremente. É possível definir zonas de suavização com valores médios ou, de acordo com as necessidades, mostrar e ocultar diagramas de resultados. Desta maneira é garantida uma avaliação objetiva dos resultados. Todos os diagramas podem ser integrados no relatório de impressão.

 

Visualização dos resultados

Os resultados são apresentados a cores no modelo, de maneira que p. ex. a rotação de uma barra é facilmente detectável. No painel de controle, as cores e a gama de valores podem ser livremente definidos. Existe a ainda a possibilidade de criar animações das deformações, das tensões de superfície assim como dos esforços internos e guardá-los como num arquivo de vídeo.

 

 

Tabelas de resultados detalhadas

A primeira tabela de resultados representa uma descrição geral resumida, que faz o balanço do equilíbrio de forças no sistema e das deformações máximas. É apresentada também informação sobre o processo de cálculo. Todas as tabelas de resultados podem ser filtradas por critérios específicos como p. ex. por valores extremos ou posições de dimensionamento.

 

Impressão em massa de gráficos

O modelo, o carregamento e os resultados podem ser imprimidos em série. O programa cria vários gráficos vistos de diferentes direções a serem especificadas. Por exemplo, é possível imprimir todos os esforços internos numa vista isométrica através de um clique com o mouse.

 

Exportar o relatório para um arquivo RTF ou PDF

A saída de resultados no relatório de impressão pode ser criada em diferentes idiomas: português, inglês, alemão, francês, espanhol, italiano, checo, eslovaco, húngaro, polaco, holandês e russo. O usuário pode também criar outras línguas por si mesmo.
Textos adicionais podem ser importados como arquivos RTF. A numeração das páginas também pode ser configurada, por exemplo, a fim de usar prefixos. Por fim, é possível exportar o relatório como um arquivo RTF ou PDF.

rfem

 

Controle da extensão do relatório

A extensão do relatório de impressão pode ser ajustada individualmente por critérios de seleção. Com base em relatórios já existentes podem ser criados modelos de impressão e reutilizados globalmente para outros projetos de dimensionamento. Para apresentações de impressão gráfica, é possível integrar caixas de título.

rfem